Pular para o conteúdo principal

Uma viagem inimaginável - Angkor

Nunca em meus sonhos imaginei conhecer o Camboja. Nem o Vietnã. Mas há duas semanas lá estava eu, caminhando pelos templos centenários de Angkor Wat e navegando pelo rio Mekong. Ainda mais, se alguém me perguntasse, há um ano e meio atrás, o que eu pensava sobre países como Camboja e Vietnã eu provavelmente não teria opinião nenhuma (o sudeste asiático nunca foi meu forte em termos de conhecimentos políticos e históricos).

Depois de estudar bem o roteiro e uma semana de férias (uhhh, como sou ousada!) lá fomos nós! O roteiro inicial seria Hong Kong - pequena escala em Hanói (capital do Vietnã) - Siem Reap (Camboja). Mas logo no voo tivemos a primeira supresa: o avião começou a sobrevoar Siem Reap e nada de aterrisar. Alguns momentos depois o comandante anuncia "por problemas na pista (?) teremos que voltar para Hanói". E lá fomos nós volta pra Hanói... felizmente ninguém saiu do avião, e algumas horas depois eles anunciaram que poderíamos voltar pra Siem Reap! Ufa, que alívio! Chegamos umas 4 horas depois do previsto, mas felizmente nosso "tuk-tuk" estava lá nos esperando, conforme prometido pelo hostel no qual nos hospedamos.

No dia seguinte, o esquema era acordar cedo e lá fomos nós explorar os templos de Angkor :) Uma breve história para quem não conhece: os templos de Angkor foram construídos aproximadamente entre os anos 800 a 1.400 d.C., no princípio eram templos hinduístas, mas com o passar do tempo passaram a ser budistas. Foram construídos pedra sobre (pesada) pedra e atualmente é um gigante sítio arqueológico / atração turística. O mais famoso é o tempo de Angkor Wat, apesar de que a parte mais grande é o complexo de templos de Angkor Thom.

Os guerreiros que protegem a entrada do templo

Começamos o primeiro dia explorando o templo de Bayon. Eu estava com medo de ficar perdida e de saco cheio por não conhecer muito a respeito da religião e da história por detrás de Angkor, mas no final das contas isso nem fez diferença! Os templos são enormes e dá para passar todo o dia explorando um por um e todos seus detalhes.

As faces de pedra do tempo de Bayon são um dos símbolos mais conhecidos do Camboja

Detalhe da parede do templo, onde os locais (Khmers) derrotam os... chineses! Mwahahaha!

E como  vocês podem ver pelas fotos, os templos realmente foram construídos através de blocos de pedra gigantes! Em muitas partes você só vê realmente uma pilha gigante de pedras, como se fossem peças de lego.  Mas imagina o tempo e a tecnologia que eles tinham que ter na época pra poder levantar tudo isso!

Mais impressionante ainda, com o passar do tempo algumas árvores começaram a nascer no meio das pedras. E não são arvorezinhas não, são árvores gigantes que só uma estrutura de pedras maior ainda poderia sustentar! Eu me sentia dentro de um filme, com muitos efeitos especiais...


Detalhe: o sítio arqueologico é tão grande que alugamos um tuk-tuk pra nos levar de um lugar a outro. E no final da tarde finalmente chegamos ao tão famoso Angkor Wat!! Realmente é o templo mais majestoso, rodeado por um lago e que tem um espelho d'água pra deixar as fotos ainda mais bonitas! Tiramos algumas fotos porque o melhor ainda estava por vir no dia seguinte...

No dia seguinte acordamos às 4 da manhã para o que seria o ponto alto de toda a viagem: ver o nascer do sol sobre Angkor Wat. Lá fomos nós, com muito sono e sofrendo com o frio da manhã novamente para o templo, que incrivelmente estava cheio de turistas. Esperamos... esperamos... esperamos... até que finalmente começam a aparecer os primeiros raios do dia (que felizmente prometia ser um belo dia de sol).

Ohhhhhhhhhhhhhhh!

O dia foi clareando e nós turistas tirando fotos enlouquecidamente. Depois de testar todas as funções da minha câmera, acho que consegui tirar umas fotos decentes! :)

Quase lá...

Lindo! O nascer do sol (não eu e a minha cara de cansada, obviamente)

Depois entramos e exploramos Angkor Wat, que é muito interessante com seus detalhes e torres. Pena que uma boa parte do templo está em reforma. Passamos o resto da manhã visitando templos menores e por fim nos despedimos de Angkor. Talvez com mais tempo e dinheiro poderíamos te contratado um guia pra explicar todas as histórias e mistérios deste lugar, considerado uma das 7 maravilhas do mundo (e com razão!), mas isso fica pra próxima vez.

Voltamos pra Siem Reap, almoçamos e já era hora de tomar o ônibus para a viagem de 6 horas rumo à capital do Camboja, Phnom Phen. Mas depois de tanto escrever, essa história fica para o próximo post!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 10: comida de rua de Hong Kong

Se tem uma coisa que o povo aqui de Hong Kong adora é comer fora! Porém, com um estilo de vida tão atarefado, familias normalmente pequenas e apartamentos ainda menores, poucas pessoas tem tempo e disposição para cozinhar em casa. Além disso, Hong Kong oferece uma variedade enorme de opções gastronômicas para todos os gostos e bolsos, então normalmente é bem fácil encontrar restaurantes para matar a fome depois de um longo dia de trabalho.
Mas quando você quer comer algo rápido, o que você faz? Vai na padoca, pede um pão de queijo com pingado e segue com sua vida? A resposta (obviamente) é não. Mas quando falamos de lanches e comida de rua, Hong Kong oferece uma infinidade de opções que vale a pena provar! Algumas comidinhas são apenas para os mais corajosos, como vocês vão ver na lista abaixo, mas HK tem coisas deliciosas que já fazem parte do meu cardápio, haha!


Como curiosidade, listo abaixo 10 comidas de rua super interessantes de Hong Kong (em ordem aleatória). Importante mencio…

Como conseguir um visto de trabalho em Hong Kong (parte 1)

Eu já falei sobre isso em um post anterior, mas vira e mexe aparece a pergunta no grupo de brasileiros em Hong Kong no Facebook: como conseguir um visto de trabalho em Hong Kong? Por isso resolvi falar mais sobre como obter o tão sonhado visto de trabalho (uma vez que você receba uma proposta de emprego de uma empresa local).

No meu caso, por exemplo, eu tive que ir na cara e na coragem, já que depois de receber a proposta para trabalhar na ONG eu percebi que: 1) o escritório tinha apenas 10 funcionários na época e o RH era novo, e 2) como eu suspeitava, o cara do RH não fazia a menor idéia de como processar um visto de trabalho. Aliás, quando eu finalmente comecei a trabalhar, ele já tinha até se demitido, então vai vendo o nível...
Hong Kong é um lugar com ótimas ofertas de trabalho para profissionais qualificados. Porém, muitas empresas que nunca tiveram experiência com o processo do visto ficam meio desmotivadas em contratar estrangeiros e ter que cumprir os requisitos exigidos pe…

Viver em Hong Kong - O guia!

Estou de volta!
Aliás, nunca abandonei este meu belo blog, mas vários motivos de força maior me impediram de escrever nos últimos 6 meses, incluíndo preguiça e outras coisas mais importantes, como formatura, viagens, e até uma mudança de emprego! Mas sempre estive aqui, na boa e velha Hong Kong...
Nesses meses recebi vários emails de brasileiros que tem interesse de morar em Hong Kong e saber mais sobre a vida aqui. Para unir o útil ao agradável, resolvi dar uma ajuda e reunir algumas informações bem úteis para quem está interessado em vir passar uma(s) temporada(s) aqui.
Regra número 1 - Hong Kong não é China!
Eu já falei isso várias vezes aqui no blog, mas viver em HK é totalmente diferente de morar na China. Um exemplo: brasileiros podem vir pra HK a turismo sem precisar de visto e ficar aqui até 90 dias. Já para a China, brasileiros precisam sim de visto! Me empolguei e até fiz uma tabela com as diferenças mais marcantes entre HK e China:
Hong KongChinaPreciso de visto?NãoSimIdio…