Pular para o conteúdo principal

Uma viagem inimaginável - Phnom Phen

Colocarei mais fotos em breve!

Depois de Siem Reap, finalmente chegamos à capital do império Khmer: Phnom Phen. Chegamos algumas horas depois do previsto, mas já era de se esperar que os ônibus no Camboja não seriam muito pontuais. Por sorte o hostel estava aberto esperando por nós, e foi só tempo de chegar e dormir para aproveitar o dia seguinte.

Apesar da população de quase 2,5 milhões de pessoas, foi bem fácil se localizar na cidade, já que a maioria das atrações turísticas eram bem perto umas das outras. Começamos a manhã indo no Tuol Sleng Genocide Museum. É isso mesmo, um museu sobre o genocídio, resultante do regime do Khmer Vermelho. Novamente peço desculpas pelo meu desconhecimento histórico, mas basicamente, entre 1975 a 1979 o Camboja foi dominado por um regime comunista baseado em trabalhos forçados e se estima que de 20% a 30% da população do país (!) morreu nessa época.

Foi uma visita bem interessante. Eu confesso que tenho sangue frio pra essas coisas, mas o museu (que na verdade era uma escola que foi adaptada para virar um centro de tortura durante o regime comunista) não sofreu muitas alterações desde os anos 70, o que dá um ar ainda mais macabro pro lugar! Estima-se que mais de 17 mil pessoas estiveram presas em Tuol Sleng, das quais apenas 7 sobrevieram (!!!).


As celas da prisão. Tenso!

Depois conhecemos o mercado central da cidade (que vende de tudo um pouco, mas nada que eu não tenha visto em Hong Kong ou na China) e a tarde fomos ver o palácio real. Se realmente o rei mora lá eu não sei, mas o palácio é muito bonito e bem ao estilo tailandês. Depois conhecemos o museu nacional (bem pequeno, mas o prédio era muito bonito) e por fim vimos o por do sol no "calçadão" que fica na beira do rio Tonle Sap, que é também onde ficam todos os melhores bares e restaurantes da cidade (pelo menos é onde estavam todos os gringos).

Mas olha, o Camboja é um país pobre, um dos mais pobres da Ásia e certamente o mais pobre que eu já tive a chance de visitar. No fundo eu estava curiosa para ver como seria. Como seria o Camboja em comparação com o Brasil, meu país que também tem seus gigantes desafios? No final o que se vê são motos (muuuitas motos), muitas das mesmas lojas daqui de Hong Kong, os bares cheios de gente tomando as mais caras cervejas européias, convivendo lado a lado com tuk-tuks e feiras ao ar livre que num primeiro momento não obedecem nenhuma ordem e muito menos qualquer norma de controle sanitário.

E ao contrário do que muita gente pensa, o Camboja não é tão barato assim não! Pelo menos não para quem vem de Hong Kong. Lá vem o vendedor "coco verde, um dólar"! "Senhora, tuk-tuk? Dois dólares!"... a moeda do Camboja (Riel, até soa como Real, haha) vale tão pouco que é mais lucrativo usar o dólar americano, que é aceito em todas as partes. Mas de dólar em dólar, você poder acabar gastando uma boa grana!

Pois bem! E todo esse passeio por Phnom Phen foi feito em apenas 1 dia! Certamente há muitas coisas pra se fazer lá, mas pelo pouco tempo que ficamos até que deu pra aproveitar bem o tempo. Até ia me encontrar com o JP da AIESEC USP (ae!) mas infelizmente não deu tempo. Aproveito pra divulgar o blog dele, que também é bem legal: http://hldyncambodia.blogspot.com/

E no dia seguinte madrugamos para pegar o ônibus, dessa vez para uma viagem internacional, rumo ao Vietnã! Aguardem! 

Comentários

  1. Hehe, que legal que virou até post! :)
    Acho que deu pra vc ver o quanto o Brasil é desenvolvido né??

    Bjao!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 10: comida de rua de Hong Kong

Se tem uma coisa que o povo aqui de Hong Kong adora é comer fora! Porém, com um estilo de vida tão atarefado, familias normalmente pequenas e apartamentos ainda menores, poucas pessoas tem tempo e disposição para cozinhar em casa. Além disso, Hong Kong oferece uma variedade enorme de opções gastronômicas para todos os gostos e bolsos, então normalmente é bem fácil encontrar restaurantes para matar a fome depois de um longo dia de trabalho.
Mas quando você quer comer algo rápido, o que você faz? Vai na padoca, pede um pão de queijo com pingado e segue com sua vida? A resposta (obviamente) é não. Mas quando falamos de lanches e comida de rua, Hong Kong oferece uma infinidade de opções que vale a pena provar! Algumas comidinhas são apenas para os mais corajosos, como vocês vão ver na lista abaixo, mas HK tem coisas deliciosas que já fazem parte do meu cardápio, haha!


Como curiosidade, listo abaixo 10 comidas de rua super interessantes de Hong Kong (em ordem aleatória). Importante mencio…

Como conseguir um visto de trabalho em Hong Kong (parte 1)

Eu já falei sobre isso em um post anterior, mas vira e mexe aparece a pergunta no grupo de brasileiros em Hong Kong no Facebook: como conseguir um visto de trabalho em Hong Kong? Por isso resolvi falar mais sobre como obter o tão sonhado visto de trabalho (uma vez que você receba uma proposta de emprego de uma empresa local).

No meu caso, por exemplo, eu tive que ir na cara e na coragem, já que depois de receber a proposta para trabalhar na ONG eu percebi que: 1) o escritório tinha apenas 10 funcionários na época e o RH era novo, e 2) como eu suspeitava, o cara do RH não fazia a menor idéia de como processar um visto de trabalho. Aliás, quando eu finalmente comecei a trabalhar, ele já tinha até se demitido, então vai vendo o nível...
Hong Kong é um lugar com ótimas ofertas de trabalho para profissionais qualificados. Porém, muitas empresas que nunca tiveram experiência com o processo do visto ficam meio desmotivadas em contratar estrangeiros e ter que cumprir os requisitos exigidos pe…

Viver em Hong Kong - O guia!

Estou de volta!
Aliás, nunca abandonei este meu belo blog, mas vários motivos de força maior me impediram de escrever nos últimos 6 meses, incluíndo preguiça e outras coisas mais importantes, como formatura, viagens, e até uma mudança de emprego! Mas sempre estive aqui, na boa e velha Hong Kong...
Nesses meses recebi vários emails de brasileiros que tem interesse de morar em Hong Kong e saber mais sobre a vida aqui. Para unir o útil ao agradável, resolvi dar uma ajuda e reunir algumas informações bem úteis para quem está interessado em vir passar uma(s) temporada(s) aqui.
Regra número 1 - Hong Kong não é China!
Eu já falei isso várias vezes aqui no blog, mas viver em HK é totalmente diferente de morar na China. Um exemplo: brasileiros podem vir pra HK a turismo sem precisar de visto e ficar aqui até 90 dias. Já para a China, brasileiros precisam sim de visto! Me empolguei e até fiz uma tabela com as diferenças mais marcantes entre HK e China:
Hong KongChinaPreciso de visto?NãoSimIdio…