Pular para o conteúdo principal

Japão - Parte 2!! / Japan - Part 2!!

English version right after the portuguese.

Finalmente continuando!

No primeiro dia resolvemos sair de Tóquio e decidimos fazer um plano bem "japonês": passamos o dia em um parque de águas termais (vou chamar de hot springs)! Aparentemente um dos maiores passatempos dos japoneses de todas as idades é passar o dia relaxando nos hot springs, águas vulcânicas e bem quentes. 

Eu pensei que íamos ficar umas 2 horas nos hot springs e depois poderíamos passear para conhecer a cidade e tirar algumas fotos com o Monte Fuji no fundo... Ah, o Monte Fuji é lindo! É tão grande e dá pra ver de longe, com a neve no topo e tudo.

Dá pra ver lá no fundo? / Can you see it back there?

Mas nem tivemos tempo, porque os hotspring eram gigantes!! A coisa era deixar suas coisas no vestiário e passar o dia inteiro de biquini por aí aproveitando cada tipo diferente de piscina e suas propriedades "medicinais": tinha o hot spring de café... chá verde... e até de vinho! Pra ser sincera eu não aguento ficar muito tempo dentro da água, é muito quente! Mesmo com o frio de 14 graus do lado de fora, eu não aguentava ficar muito tempo lá, praticamente cozinhando, hahaha.

Chá verde... / Green tea...

O mais engraçado é que tem a parte 'unissex', onde a gente estava e onde ficam a grande maioria das piscinas, mas tem a parte separada entre homens e mulheres onde você tem que ficar pelado! Aliás, a maioria dos lugares com hot springs aqui são assim, homens e mulheres separados e nada de roupa, nem biquini. Haha, nenhum de nós nos arriscamos em conhecer essa parte oculta do Japão!

A noite voltamos à Tóquio e saímos por aí pra conhecer. Começamos com a o famoso cruzamento de Shibuya (Shibuya crossing) que nada mais é do que uma intersecção entre várias avenidas, que neste ponto criam um imenso cruzamento e gigantes faixas de pedestres. Então foi legal ver quando o sinal fica verde, e milhares de pessoas cruzando a rua ao mesmo tempo, nas mais diversas direções!

No dia seguinte, fomos ao Mercado de Peixes. Chegamos lá e o mercado em si já estava vazio, mas pudemos andar pelas ruas ao redor com várias lojinhas simpáticas vendendo comidinhas locais e outros produtos japoneses. Aproveitamos para comer sushi. Sushi! Sushi! Que alegria! Eu não sou fã de muito dos peixes exóticos (e gosmentos) que o pessoal come aqui nesses lados do mundo, mas um bom sushi com salmão ou atum frescos, hmmmmmm, delícia! Com certeza foi o melhor sushi que já comi na minha vida!

A tarde caminhamos pelo jardim imperial (mas o palácio estava fechado) e caminhamos e caminhamos por Tóquio até chegar à Tokyo Tower, um dos lugares mais famosos da cidade (e tanta vezes vista nos desenhos japoneses da infância, hehe). De aí fomos ao Templo Akasuka, que pra ser sincera é bem parecido com os tempos chineses. :P A noite jantamos em um restaurante super legal e depois, balada!

Não pode faltar a foto grupal! / Of course we took a group picture!

Estava pensando faz uns minutos, e se Hong Kong é uma espécie de "caos controlado", uma boa palavra para descrever Tóquio seria "energia". Tudo é rápido e eficiente, mas sem este ar de pressa que existe aqui: que tudo funciona bem, mas é porque não existe outra opção. Não sei se dá pra entender, mas enfim. No próximo post finalmente falarei mais sobre um dos principais motivos da viagem: as sakuras! :D

***


Finally I can continue!

At our first day, we decided to get out of Tokyo and have a typical Japanese holiday: spend the day at the hot springs! Apparently this is one of Japan’s favorite pastimes: people of all ages enjoy spending the day relaxing at these very hot, steamy, volcanic waters. 

I thought we would just spend a couple of hours relaxing at the hot springs, and then go out, walk around and take some photos with Mount Fuji in the background… Ah, the Mt. Fuji is just amazing! So big you can see from very far away, with the snowy top and everything!

But we didn’t have time, because the hot springs park (if we can call it that) was enormous!! So we just left our stuff in the lockers and spent the whole day in our swimsuits enjoying each and every hot spring and their “special properties”: the coffee hot spring, the green tea hot spring and even the wine hot spring! Honestly I can’t stand the hot water for too long, it’s too hot and I feel like I’m cooking! Even with only 14ºC outside I just couldn’t stay in the water for more than a few minutes.

The funniest thing is that the hot springs had the ‘unisex’ part, where most of the pools were located. But they also have the areas exclusive for men and women, where you have to be butt naked! From what I’ve heard, most hot springs in Japan are like that – not even bikinis are allowed! Haha, but none of us dared to go and learn more about this ‘secret’ side of Japan!

At night we got back to Tokyo, to just walk around and explore a bit. We went to the famous Shibuya crossing, which is a huge intersection between some avenues and roads that get connected at this place. It is a huge pedestrian crossing, basically. But it was cool to see the light turn green and suddenly hundreds of people crossing the street at the same time, in all directions!

The next day we went to the Fish Market. When we arrived, the market was almost closing (the fish are sold very early in the morning), but we managed to hit the streets around the market with lots of cool little shops selling food and other things. And we took the chance to eat some sushi. Sushi! What joy! I am not a big fan of the exotic (and slimy) fish they put on sushi here in Asia. But there is nothing more delicious than a good salmon or tuna fresh sushi, yummy! Definitely the best sushi I had in my life!

In the afternoon we went to the imperial palace gardens (the imperial palace itself was closed) and just found our way around town until we got to Tokyo tower, one of Tokyo’s most famous postcards (and that I’ve seen so many times in Japanese cartoons, hehe). From there we went to the Akasuka Temple, which for me, looked very similar to the temples in China. :P At night we had dinner in a super cool restaurant and after, par-tey!

I was thinking recently, and Hong Kong seems to me like a “controled chaos” city. In that sense, a good word to describe Tokyo would be energy. Everything is also fast and very efficient, but without this rushing feeling that we have here in HK: everything works, but because is the only option. Just a random tought, but anyway.  On the next post I will finally talk more about one of the main reasons of this trip: the sakura trees! :D

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 10: comida de rua de Hong Kong

Se tem uma coisa que o povo aqui de Hong Kong adora é comer fora! Porém, com um estilo de vida tão atarefado, familias normalmente pequenas e apartamentos ainda menores, poucas pessoas tem tempo e disposição para cozinhar em casa. Além disso, Hong Kong oferece uma variedade enorme de opções gastronômicas para todos os gostos e bolsos, então normalmente é bem fácil encontrar restaurantes para matar a fome depois de um longo dia de trabalho.
Mas quando você quer comer algo rápido, o que você faz? Vai na padoca, pede um pão de queijo com pingado e segue com sua vida? A resposta (obviamente) é não. Mas quando falamos de lanches e comida de rua, Hong Kong oferece uma infinidade de opções que vale a pena provar! Algumas comidinhas são apenas para os mais corajosos, como vocês vão ver na lista abaixo, mas HK tem coisas deliciosas que já fazem parte do meu cardápio, haha!


Como curiosidade, listo abaixo 10 comidas de rua super interessantes de Hong Kong (em ordem aleatória). Importante mencio…

Como conseguir um visto de trabalho em Hong Kong (parte 1)

Eu já falei sobre isso em um post anterior, mas vira e mexe aparece a pergunta no grupo de brasileiros em Hong Kong no Facebook: como conseguir um visto de trabalho em Hong Kong? Por isso resolvi falar mais sobre como obter o tão sonhado visto de trabalho (uma vez que você receba uma proposta de emprego de uma empresa local).

No meu caso, por exemplo, eu tive que ir na cara e na coragem, já que depois de receber a proposta para trabalhar na ONG eu percebi que: 1) o escritório tinha apenas 10 funcionários na época e o RH era novo, e 2) como eu suspeitava, o cara do RH não fazia a menor idéia de como processar um visto de trabalho. Aliás, quando eu finalmente comecei a trabalhar, ele já tinha até se demitido, então vai vendo o nível...
Hong Kong é um lugar com ótimas ofertas de trabalho para profissionais qualificados. Porém, muitas empresas que nunca tiveram experiência com o processo do visto ficam meio desmotivadas em contratar estrangeiros e ter que cumprir os requisitos exigidos pe…

Viver em Hong Kong - O guia!

Estou de volta!
Aliás, nunca abandonei este meu belo blog, mas vários motivos de força maior me impediram de escrever nos últimos 6 meses, incluíndo preguiça e outras coisas mais importantes, como formatura, viagens, e até uma mudança de emprego! Mas sempre estive aqui, na boa e velha Hong Kong...
Nesses meses recebi vários emails de brasileiros que tem interesse de morar em Hong Kong e saber mais sobre a vida aqui. Para unir o útil ao agradável, resolvi dar uma ajuda e reunir algumas informações bem úteis para quem está interessado em vir passar uma(s) temporada(s) aqui.
Regra número 1 - Hong Kong não é China!
Eu já falei isso várias vezes aqui no blog, mas viver em HK é totalmente diferente de morar na China. Um exemplo: brasileiros podem vir pra HK a turismo sem precisar de visto e ficar aqui até 90 dias. Já para a China, brasileiros precisam sim de visto! Me empolguei e até fiz uma tabela com as diferenças mais marcantes entre HK e China:
Hong KongChinaPreciso de visto?NãoSimIdio…