Pular para o conteúdo principal

Conversas do além


É um assunto meio mórbido, mas algumas pessoas já me perguntaram como são os rituais quando os chineses de Hong Kong, ahn, batem as botas. Os funerais em Hong Kong são um pouco diferentes do que os no Brasil. No Brasil, quando alguém falece, é normal que o velório e enterro aconteçam poucos dias depois. Sendo um país predominantemente católico, a idéia é que parentes e amigos tenham alguns dias para absorver a notícia e se despedir do falecido, que é enfim enterrado (ou cremado) para finalmente descansar em paz e ir para o céu. Para nós parece natural, não é?

Ma como eu falei, as por aqui as coisas são um pouco diferentes. Em Hong Kong, o período entre o falecimento e o enterro pode levar duas semanas ou mais! Isso pode acontece por duas razões. A primeira é que muitas famílias que seguem o calendário e horóscopo chinês fazem uma análise para escolher a data mais “propícia” para o enterro, ou seja, uma dia onde o falecido possa ir para o além com mais conforto e fortuna. Tradicionalmente, os chineses não veêm problema em esperar mais de dez dias para o enterro, e durante esse tempo, o corpo do falecido fica embalsamado na casa funerária.

Dá para ver que os túmulos ficam colados uns nos outros (Foto: Antony Dickson /AFP/Getty Images)

A segunda razão é a falta de espaço nas funerárias e cemitérios de Hong Kong. A cidade sofre com a hiperpopulação até nos cemitérios! Muitas vezes a família tem que esperar um bom tempo para uma vaga disponível para o enterro. Ou seja, até na morte você tem que esperar na fila.

A falta de espaço também faz com que o preço dos lotes nos cemitérios sejam caríssimos, forçando muitas pessoas a ‘enterrar’ os falecidos nos columbários, onde as cinzas dos entes queridos ficam guardadas em pequenos nichos comemorativos, como se fosse um cemitério vertical. Para tentar resolver o problema da falta de espaço, o governo tenta promover algumas alternativas, como espalhar cinzas em jardins funerários especializados ou no mar. Porém, essas alternativas não são bem aceitas po certas religiões pelas gerações mais antigas, por uma razão bastante curiosa.

Famílias tradicionais que ainda habitam vilas e áreas rurais de Hong Kong tem seus próprios túmulos que normalmente ficam nas encostas de colinas e montanhas (foto: Zolima Magazine)

Na cultura chinesa, mesmo após a morte, a manutenção do túmulo (no cemitério ou columbário) é muito importante. Em Hong Kong existem dois feriados (Ching Ming em abril e Chung Yeung, em outubro) onde a tradição manda os familiares visitarem o jazigo dos falecidos para limpar, trazer flores e até comida e maços de dinheiro falso para ‘presentear’ os mortos. Bom, se os seus restos mortais estão espalhados em um jardim ou no mar, fica mais dificil receber os tão aguardados presentes!

Eu não sou expert em religiões, então não sei detalhes das tradições de outros grupos religiosos. Para falar a verdade, tanto a China como Hong Kong não são lugares muito religiosos. Mas o que eles não tem de religião, eles compensam em superstições, seguindo as  práticas e rituais até na hora da morte. Nunca se sabe, né?

Comentários

  1. Júlia,
    Muito bom abrir seu blog e ver um post novo! Acompanho seu blog faz uns anos e tive a oportunidade de visitar Hong Kong a trabalho em outubro de 2016 e me apaixonei pela cidade. Espero ver novos posts seus contando curiosidades daí!
    Um grande abraço,
    Nilton.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nilton! Obrigada por acompanhar o blog! Fico super feliz em saber que ainda tem gente que passa por aqui ;)
      Espero que você tenha curtido sua visita a Hong Kong! Abraços!

      Excluir
  2. Vai completar quatro anos que moro aqui em HK. Mesmo assim, sempre aprendo uma coisa nova sobre HK com os seus posts, hehe!

    Rafael

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 10: comida de rua de Hong Kong

Se tem uma coisa que o povo aqui de Hong Kong adora é comer fora! Porém, com um estilo de vida tão atarefado, familias normalmente pequenas e apartamentos ainda menores, poucas pessoas tem tempo e disposição para cozinhar em casa. Além disso, Hong Kong oferece uma variedade enorme de opções gastronômicas para todos os gostos e bolsos, então normalmente é bem fácil encontrar restaurantes para matar a fome depois de um longo dia de trabalho.
Mas quando você quer comer algo rápido, o que você faz? Vai na padoca, pede um pão de queijo com pingado e segue com sua vida? A resposta (obviamente) é não. Mas quando falamos de lanches e comida de rua, Hong Kong oferece uma infinidade de opções que vale a pena provar! Algumas comidinhas são apenas para os mais corajosos, como vocês vão ver na lista abaixo, mas HK tem coisas deliciosas que já fazem parte do meu cardápio, haha!


Como curiosidade, listo abaixo 10 comidas de rua super interessantes de Hong Kong (em ordem aleatória). Importante mencio…

Como conseguir um visto de trabalho em Hong Kong (parte 1)

Eu já falei sobre isso em um post anterior, mas vira e mexe aparece a pergunta no grupo de brasileiros em Hong Kong no Facebook: como conseguir um visto de trabalho em Hong Kong? Por isso resolvi falar mais sobre como obter o tão sonhado visto de trabalho (uma vez que você receba uma proposta de emprego de uma empresa local).

No meu caso, por exemplo, eu tive que ir na cara e na coragem, já que depois de receber a proposta para trabalhar na ONG eu percebi que: 1) o escritório tinha apenas 10 funcionários na época e o RH era novo, e 2) como eu suspeitava, o cara do RH não fazia a menor idéia de como processar um visto de trabalho. Aliás, quando eu finalmente comecei a trabalhar, ele já tinha até se demitido, então vai vendo o nível...
Hong Kong é um lugar com ótimas ofertas de trabalho para profissionais qualificados. Porém, muitas empresas que nunca tiveram experiência com o processo do visto ficam meio desmotivadas em contratar estrangeiros e ter que cumprir os requisitos exigidos pe…

Viver em Hong Kong - O guia!

Estou de volta!
Aliás, nunca abandonei este meu belo blog, mas vários motivos de força maior me impediram de escrever nos últimos 6 meses, incluíndo preguiça e outras coisas mais importantes, como formatura, viagens, e até uma mudança de emprego! Mas sempre estive aqui, na boa e velha Hong Kong...
Nesses meses recebi vários emails de brasileiros que tem interesse de morar em Hong Kong e saber mais sobre a vida aqui. Para unir o útil ao agradável, resolvi dar uma ajuda e reunir algumas informações bem úteis para quem está interessado em vir passar uma(s) temporada(s) aqui.
Regra número 1 - Hong Kong não é China!
Eu já falei isso várias vezes aqui no blog, mas viver em HK é totalmente diferente de morar na China. Um exemplo: brasileiros podem vir pra HK a turismo sem precisar de visto e ficar aqui até 90 dias. Já para a China, brasileiros precisam sim de visto! Me empolguei e até fiz uma tabela com as diferenças mais marcantes entre HK e China:
Hong KongChinaPreciso de visto?NãoSimIdio…